sexta-feira, 13 de abril de 2012

Difícil decisão

Oi minha pequenina amada,

Faz um tempinho que não passo por aqui. Hoje não tive como escapar. Estou com os pensamentos fervilhando na cabeça e vim aqui pra tentar encontrar uma solução no meio das palavras escritas com tanto amor pra vc. Desde que vc nasceu nós decidimos que eu iria ficar em casa cuidando de vc por um pouco mais de tempo além da minha minúscula licença maternidade (4 meses). Para que isso fosse possível, seu pai está trabalhando feito doido, em todos os turnos possíveis, para que nós duas ficássemos bem aqui em casa. Isso pq eu estou de licença não remunerada, consegui fazer um acordo com a empresa onde trabalho que ficaria mais esse tempo em casa, sem receber, e quando eu voltasse eles tentariam me realocar em algum projeto. Antes de vc nascer eu estava trabalhando na Caixa Econômica Federal, pela Stefanini, em um projeto de crédito imobiliário. Um sistema muito interessante e de visibilidade nacional por se tratar de crédito imobiliário para todo o país. Bom, o fato é que decidimos que seria melhor pra vc estar comigo o máximo de tempo que conseguíssemos. Achávamos que daria pra ficar em casa até vc completar um ano, mas agora, graças a Deus, vimos que conseguimos segurar a barra até dezembro desse ano. Vc estaria com 1 ano e meio mais ou menos. Só que acontece que essa semana eu recebi uma ligação da minha empresa e eles me ofereceram uma vaga bem interessante. Difícil de recusar em uma situação normal. É uma vaga para gerente de projetos, nesse mesmo projeto que eu trabalhava. Por enquanto eles flexibilizaram meu horário e eu poderia trabalhar 6h seguidas sem perda nenhuma do meu salário. É uma oportunidade muito boa, pq eu tenho muito interesse de trabalhar com gerencia de projetos. Em qualquer outro momento da minha vida, a minha resposta seria com certeza SIM. Mas agora eu tenho vc comigo. Eu voltei pra casa com o coração tão apertado. Sei que precisa de mim e eu acho que eu preciso mais ainda de vc. Não sei se vou conseguir voltar a trabalhar e deixar vc tanto tempo longe. Por outro lado, minha vida profissional não pode ser abandonada. Eu lutei muito para chegar até aqui e eu não vou poder abrir mão do meu trabalho pra sempre, por mais que seja essa a minha vontade... Eu tenho até segunda de manhã para dar a resposta. Não sei o que fazer. Tenho vontade de retomar a minha vida, meus compromissos, me sentir mais útil e valorizada. Mas quando vejo o seu sorriso, acho que nunca mais quero tirar os olhos de vc. 
Esse final de semana vai ser difícil, vou orar e pedir orientação de Deus. Que Ele aquiete meu coração e me mostre o melhor para nossa família. 
Eu te amo minha flor. 

2 comentários:

  1. Acho que não deve perder a oportunidade em voltar a trabalhar. Ser mãe você será a vida toda. Eu sei, pois tenho filhos e eles crescem, casam e se mudam. Pense em fazer o seu pézinho de meia para ajudar sua filha a frequentar uma boa universidade e você uma boa aposentadoria. Os anos passam, muitas coisas mudam e as oportunidades somem! Boa sorte!! Beijus,

    ResponderExcluir
  2. Ah, esqueci de te convidar para o BookCrossing Blogueiro pois já participou de outras edições e como simpatizante que é, lhe convido para mais uma vez para participar dessa empreitada!

    Vamos libertar os livros da clausura das estantes escuras? :)

    Este ano, o prazo de postagem foi aumentado para uma semana para que todos possam participar com calma!

    Dá uma olhadinha lá no "Luz" e veja se anima!!

    Beijus,

    ResponderExcluir